Pequeno Príncipe faz gol de placa em Nova York

O Complexo Pequeno Príncipe tem ultrapassado as fronteiras do Brasil para divulgar a causa da saúde infantojuvenil e buscar recursos para sua manutenção. A noite de 08 de maio de 2013 reuniu 350 apoiadores no Gotham Hall, em Nova York, para a quarta etapa da Copa Gastronômica Gols pela Vida.

A Copa é um projeto apadrinhado pelo chef francês Claude Troisgros. Antes da Big Apple, a Copa Gastronômica Gols pela Vida já havia passado por Curitiba, São Paulo e Paris. Em 2014, uma quinta edição está marcada para o Rio de Janeiro, celebrando o clima de Copa do Mundo que terá tomado conta do país.

Em maio de 2013, Troisgros convocou para o evento um dream team de chefs, que contou com os brasileiros Alex Atala, Roberta Sudbrack e Thomas Troisgros (filho de Claude), além do francês Daniel Boulud e do franco-suíço Daniel Humm, ambos radicados em Nova York. Eles foram responsáveis não só pelo menu exclusivo da noite, mas também por demonstrações ao vivo de como preparar os pratos.

Outra estrela da noite foi Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, padrinho do Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe, que faz parte do Complexo Pequeno Príncipe e é o grande beneficiado deste evento, com toda a renda revertida para suas pesquisas na área de saúde infantojuvenil. Pelé e os chefs uniram-se a diretores do Pequeno Príncipe, Ety Cristina Forte Carneiro e José Álvaro Carneiro, para apresentar ao público norte-americano a causa do maior complexo pediátrico do Brasil.

Uma das grandes presenças foi a da homenageada da noite, Daniele Behring. Graças ao seu apoio e comprometimento em mobilizar sua rede de contatos, 350 convidados e apoiadores lotaram os salões do Gotham Hall, um dos mais exclusivos e sofisticados espaços de Manhattan.

Além do jantar, a noite contou com várias outras atrações, como o leilão de peças de arte doadas para o Pequeno Príncipe – que foi realizado pelo vice-presidente da Sotheby’s, C. Hugh Hildesley – e apresentações musicais de artistas líricos brasileiros.

Uma causa nobre
No jantar, o Pequeno Príncipe deu o ponta-pé inicial para arrecadar recursos para construir uma sede própria para o Instituto. Essa deve ser a primeira construção do terreno no bairro Bacacheri, em Curitiba, de propriedade da Associação Eunice Weaver, que foi cedido em comodato ao Complexo.

A área, de aproximadamente 165 mil m², passou a ser administrada pelo Pequeno Príncipe em 2012. A instituição pretende instalar no local um grande centro integrado de saúde – um hospital e um pronto-socorro para atender a zona norte da capital paranaense, e uma unidade ambulatorial, além de unidades de ensino, pesquisa e cultura. Para viabilizar o projeto, a instituição firmou, ainda no ano passado, um protocolo de intenções com os governos municipal e estadual. Para a construção da sede do Instituto, a diretoria do Complexo Pequeno Príncipe estima que será necessário arrecadar R$ 6 milhões em dois anos. Por ano, o custo para manutenção do Instituto é de cerca de R$ 2 milhões, valor arrecadado por meio de captação de recursos dentro do Projeto Gols pela Vida.

A etapa de Nova York da Copa Gastronômica foi a primeira iniciativa do Complexo para a busca de recursos nos Estados Unidos, onde culturalmente as famílias destinam parte dos seus impostos às causas sociais. Além da arrecadação de fundos com a comercialização das cotas para o jantar, o Pequeno Príncipe pretende criar e manter uma rede que possa contribuir permanentemente com a Instituição.

Confira fotos do evento e várias outras informações sobre a etapa de Nova York ao clicar aqui.